Sou vegan e então?

Sou vegan e então?


Sendo vegan, recebo muito regularmente perguntas como: “E a proteína?” ou “E o cálcio?”, entre outras do mesmo género. Venho, então, através deste artigo, desmistificar este tipo de dúvidas.

Fui vegetariana durante 2 anos e muito recentemente tornei-me vegan, uma vez que já não sentia necessidade de consumir os produtos de origem animal que ainda consumia (no meu caso eram ovos, queijo e iogurte).

Inicialmente tornei-me vegetariana, já que deixou de me fazer sentido comer carne, não só pelo impacto ambiental, mas também porque comecei a fazer “a conexão” entre o bife que estava no meu prato e a forma como ele ele tinha lá ido parar. “Então, mas isso é óbvio, claro que o animal foi morto.” O problema é que, hoje em dia, como temos rápido acesso a qualquer produto, já fatiado e desossado, esquecemo-nos que aquele bife foi antes um animal.

Como é que me tornei vegan?

Há cerca de dois ou três meses decidi deixar os outros produtos de origem animal que ainda consumia. Decidi fazê-lo porque sentia que já não era suficiente não comer carne, pois, a indústria do leite, por exemplo, faz tanto mal ao planeta como a indústria da carne. Mais do que isso, não me sentia bem em saber que estava a comer algo que custou a vida a outro ser. “Ah, mas eles viveram uma boa vida e iam morrer de qualquer forma”. As vacas, por exemplo, vivem em média 18 a 22 anos. Na indústria do leite e da carne vivem entre 2 e 5 anos. E os bezerros, que são retirados das vacas leiteiras, vivem em média 32 semanas. (E não, as vacas leiteiras não podem dar leite sem engravidar).

Quando deixei de comer carne e também outros produtos de origem animal, fizeram-me perguntas como: onde vais buscar a proteína? E o cálcio? E a b12, suplementas?

São perguntas de fácil resposta.

Em relação à proteína, os animais, para a obterem, têm que a consumir. Eu obtenho-a da mesma forma, através de grãos, sementes, legumes, etc.

O cálcio, por sua vez, é encontrado facilmente em imensos alimentos. Não precisamos necessariamente de beber leite para o obtermos, até porque o cálcio de origem vegetal é absorvido muito mais facilmente, tal como acontece com a proteína vegetal.

Por fim, falemos acerca do mito relativo aos vegans não obterem a vitamina b12 na sua alimentação.

Posso apenas falar do meu caso: eu optei por tomar um suplemento desta vitamina, mas mesmo quem come carne devia fazê-lo, porque é uma vitamina difícil de obter, mesmo consumindo produtos de origem animal. Esta situação é mais complexa do que isto, então, aconselho a que pesquisem sobre este assunto, caso tenham interesse, porque é um tópico bastante extenso.

Desde que sou vegetariana que sinto que me tornei mais consciente e preocupada com o que consumo, em parte por ter tido que aprender o que comer para ter uma dieta saudável e equilibrada, mas também porque quanto mais pesquisamos e aprendemos, mais vontade temos de saber sobre o assunto. Contudo, o veganismo não se resume à nossa dieta alimentar. Há todo um estilo de vida que se adota e que tem como pressuposto a defesa dos direitos dos animais e a não exploração dos mesmos a vários níveis. Para além disso, o veganismo pretende contribuir, também, para a diminuição do impacto ambiental e isso está presente nas escolhas que fazemos, não só alimentares, mas também em áreas como a moda, a cosmética, entre muitas outras.

P.S: Os vegans não comem mel!!!

Para os mais interessados neste tópico, deixo aqui sugestões de documentários sobre o veganismo:

Earthlings
What the Health
The Game Changers
Cowspiracy


Assim como alguns influencers e atletas vegans que poderás acompanhar através do instagram:

@earthlinged
@avantgardevegan
@rafaelpinto10
@nimai_delgado
@serenawilliams
@billieeilish
@madelame
@lewishamilton

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao Topo