All of Us Are Dead: o fenómeno dos zombies sul-coreanos

All of Us Are Dead: o fenómeno dos zombies sul-coreanos

All of Us Are Dead, estreada na Netflix a 28 de janeiro de 2022, é a mais recente série sul-coreana a liderar o top 10 da plataforma de streaming. A série de terror segue um grupo de estudantes quando o seu liceu se torna o epicentro para um novo vírus, em que os infetados se transformam em zombies violentos e esfomeados.

Com um elenco talentoso, ação e terror inovadores, elementos de comédia e cenas emocionalmente desgastantes, All of Us Are Dead é uma produção que deixa pouco a faltar. Desde o primeiro episódio que ficamos imediatamente colados ao ecrã, com uma crescente curiosidade sobre o vírus e o desejo de ver a desgraça a começar. A partir do derradeiro momento em que a primeira estudante se transforma e se desencadeiam os episódios aterradores, é impossível prever como a trama se irá desenrolar, em que nenhuma, nem mesmo as nossas personagens favoritas, estão a salvo por muito tempo.

Para além de uma quantidade avassaladora de zombies, o nosso grupo de alunos lida também com questões sociais bastante presentes na sociedade académica sul-coreana, como o bullying e as diferenças sociais. Há momentos de abrir os olhos, momentos frustrantes e momentos que trazem a lágrima ao olho, mas nunca perdemos a vontade de deixar de torcer pela nossa personagem favorita.

Esta nova série prova como os sul-coreanos são os génios no que toca a criar histórias sobre zombies, não só ao reinventar como estes seres podem ser criados, mas também como a sua transformação é influenciada por fatores como o medo e a raiva. Afinal, ainda há criatividade no mundo dos zombies numa realidade pós “The WalkingDead” (2010).

Uma série a não perder, para amantes e não amantes do género, e com a possibilidade de uma segunda temporada, All of Us Are Dead tem muito pano para mangas. 

Se for de interesse, outras produções sul-coreanas do género desta série, também muito bem classificadas e adoradas, temos o filme “Train to Busan” (2016), e as séries “Sweet Home” (2020), “Kingdom” (2019) e “Squid Game” (2021).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao Topo